UM DIA LIMPO

Hum… nove horas da manhã. Olho no relógio, com uma leve dor de cabeça somada ao ressecamento dos lábios devido à noite anterior, sim, duas baladas, um aniversário de um grande amigo e mais um fim de noite num bar, no centro de São Paulo, regado à muito rock n´ … Continue lendo UM DIA LIMPO

O ADÁGIO PEDE PLÁGIO

Olá, pessoas! Faz um tempo que não posto nenhuma crônica aqui, posto que faz tempo que não escrevo nenhuma, óbvio. Em primeiro lugar, porque eu queria escrever sobre vários assuntos e, ao mesmo tempo, e talvez por este motivo, sempre acabava não definindo o que eu queria colocar nas linhas, … Continue lendo O ADÁGIO PEDE PLÁGIO

5 SEGUNDOS

Curto Rápido Intenso Suficiente Um olhar Outro olhar Riso pára Pára o riso Vai lenta Negra vestimenta És alva Me atormenta Sem nome Sem som Rastro Silhueta E na ampulheta Pouco tempo Raro, parco Passatempo Seus olhos Te vejo Seus olhos Almejo Vai, sái Volta, olha Pairo no ar O … Continue lendo 5 SEGUNDOS

QUER SAIR COMIGO?

Vamos, João! Vamos nessa? Ok, eu vou. Só espera um pouco, preciso ir ao banheiro, escovar os dentes. Deu uma fominha, bom, uma fominha não, uma sedinha, sede de uma breja. Acho que vou tomar uma pelo caminho até a exposição. Encapoto-me com minhas vestimentas para o inverno. Um nó … Continue lendo QUER SAIR COMIGO?

TOCA AÍ

Se a música que toca não me toca logo me toco e toco para outra. João Aranha 13/05/07

NIFE

Tempestade Vento Força de um ser Água Fogo Nascer de um ser Terra Esfera Vindo de um ser Ser ou não ser Questão de vida Viva Cresça Desça à sua alma Encontre seu valor Viva do calor Beba a água Cuspa o fogo Sinta a terra Aspire o ar Seja … Continue lendo NIFE

POESIA DO DIA

Uma lira inicia O poema do dia O âmago do homem Reflete a mente Semente que mente Fruto inocente Vida incoerente Paz na escrita Voz aflita Grita, suplica Convida à vida Convida com vida Busca o cerne Busca a luz Vem de dentro Expressa o vento Coração, paixão Ar, solidão … Continue lendo POESIA DO DIA

EVA

Beleza interna Que brilha na terra Suporta a tormenta Em febre quarenta O colo acolhe O fruto, teu chão Paz que a rodeia O saber a permeia Na terra, areia No vento, a bandeira Luz te conduz Luz, sua luz Faça tua rota Siga tua nota Perdida ou devota Rápida … Continue lendo EVA

VEJO

Ao me ver Um bocejo Ao te ver Um gracejo No entardecer Um solfejo De nos ver Um molejo No destino Realejo No espelho Eu me vejo Tanto branco Azulejo Corpo seu Meu desejo Sou só eu Não invejo Onde vai O sertanejo Fria Europa Além Tejo Sou das ruas … Continue lendo VEJO