NASCER POETA

Ontem foi o Dia do Poeta
O dia de quem vive com poesia
Não fiz nenhum poema
Foi esta minha heresia

Hoje escrevo aqui
Para brindar que não sorri
Envelheci um dia
O poema que não pari

Ontem celebrado
Hoje recordado
Amanhã pensado
E todo dia
No coração fincado
De amor e dor suados

Choro, rio
Sinto, reflito
É o cerne que quase jaz
Ofício puro, franco, loquaz

É letrar o sentimento
É sentir o duro pranto
Cardíaco fomento
Borra a tinta, brota encanto

Poesia é todo dia
É sentí-la ao nosso lado
É esquecer odes torpes
Para estar ensimesmado

Contemplar mil horizontes
Regurgitar-se é a meta
É sorrir calado
É chorar sozinho
É quebrar sua janela
Para nascer
Poeta.

João Aranha

21/10/2015

Publicado em: Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s