Deserto

Em seu caminho
Pegadas
Só as suas
Ele anda sozinho
Caminhando
De encontro a algo
De encontro a alguém
E assim ele vai
Olha ao lado
Olha para trás
E segue em frente
Mira o horizonte
Avista o sol
Que cai lentamente
A luz finda
A esperança quase morre
As pegadas somem
A vontade reduz
O corpo não seduz
A fome o conduz
E na areia
Outra luz
A lua brilha o caminho
Sem atalhos
Sem portas
Sem janelas
Só almas mortas
Ele segue sua trilha
Em busca de algo
Em busca de alguém
Ele vai sozinho
Ele vai consigo
Ele vai seguindo
Em seu deserto
No caminho incerto
Decerto ele vai
E no meio de tudo
Onde tudo é inatingível
Intangível
Impossível
Ele vai com tudo
No meio do nada
Para chegar
Em qualquer lugar
Para buscar
Tentar
Olhar
Falar
Ouvir
Sentir
E encontrar
Ele mesmo.

João Aranha

06/03/2012

Publicado em: Poemas

Tagged as: , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s