É, você foi embora
Justo você, casa
Na realidade, não foi você
Fomos nós
Nós que saímos
Passaram-se 40 anos
Pouco mais de 40 anos
E eu, parti antes
Nos meus 32 anos
Se ainda estivesse com você
E em você
Seriam 37 anos
Quase 38
Uma vida, minha casa
Uma vida
Minha vida
Em você cresci
Me desenvolvi
Aprendi
Chorei
Sofri
Mas sorri
E ri, ri muito
Eu e todos da família
Família de nosferatus
Família que sempre
Sempre dormiu tarde
Talvez eu seja o mais abusado
Mas todos, sem dúvida
E sem exagero
Éramos notívagos
Éramos 7
Você sabe bem, casa
Sabe como ninguém
E mais que qualquer um
Suas paredes têm ouvidos
Olhos, boca, coração e alma
Memória
Memória que guardou minhas dores
Meus amores
Que sentiu os odores das flores da minha mãe
Que viu o futebol com o meu pai
Que viu as bonecas das minhas irmãs
Que viu meus carrinhos de ferro
E meus primeiros acordes no violão
Depois na guitarra
E depois o som do piano na sala
E bem depois
Os latidos do meu cachorro
Você nos acolheu desde então
Esteve presente em nossas vidas
Em todas as condições e situações
Momentos
Todos eles
Menos no meu primeiro beijo
Nem na minha primeira vez
Mas você estava lá
Me ouvindo, me acolhendo
Você estava lá, casa
Conheceu pessoas
Conheceu meus amigos
Namoradas, ficantes
Colegas, parentes e visitantes
Muitas pessoas passaram por lá
Muitas frequentavam
Diversas dormiram
Diversas doenças também
Mas diversas gargalhadas
Só você pra aguentar, né?
Você era forte
Aconchegante
Sempre quentinha
Várias vezes deu problema
Mas a gente estava lá
Consertando, remendando
Afinal, a gente gostava de você
E você gostava da gente
E ainda gostamos de você
E você da gente
Mas a vida muda
E a sua também
Fomos embora
Eu fui o último a sair
Passei por todos os seus cômodos
Todos antes de sair
Me apertava o coração
De ter ver pela última vez
O choro já havia cessado
Mas quando a olhei pela última vez
Quando passei a última volta
A última volta do último fechar da porta
As lágrimas caíram novamente
Enquanto te agradecia baixinho dizendo adeus
Te agradeci pelo que vivi
Pelos quatro cantos
Pelos prantos e encantos
Eu fui, nós fomos
Você ainda está lá
Não sei por quanto tempo
Mas estará sempre lá
Em nossos corações, em nossas almas
Sempre nossa
Pode parecer uma bobagem escrever pra ti
Não somos materialistas
Nem eu sou
Mas você, casa
Materializou nossos desejos
Nossos sonhos
Uma construção que construiu a gente
Saudades casa, saudades…
Você foi e sempre será
Nosso lar, doce lar
E o povo?
Partiu para outra
Menorzinha, mas bonitinha
E eu, já tinha partido
Partido para um espaço menor ainda
Partido com coração partido
Estamos partindo para outra história
Mas tudo bem
Você estará com a gente
Sempre
Fique com Deus
Fique bem
Fique entre Luzitana e Anchieta
Na Major Solon
160.

João Aranha

14/06/2010

Publicado em: Poemas

Tagged as: , , , ,

18 comentários em “160 Deixe um comentário

  1. Bem que vi um dia a Debora e um monte de caixas e deduzi isso. Realmente foram bons tempos na 160 da Major. As amizades, os cafés, os Masters, os jantares dominicais, as cervas nos postos e Express com a saidera na frente da casa com o sol nascendo atrás dos prédios. Jones, realmente marcou a todos que por ela passaram porque lá morava uma família muito especial, os Spiders.
    Não esqueça de mandar onde vai ser montada a nova teia para as “moscas” voltarem ser presas por ela.
    Abraços.

    1. Poxa, Jones, obrigado pelo seu comentário. Aliás, gostei muito. Tinha até esquecido das saideiras me frente de casa, mas esqueci momentaneamente, é claro, pois isso eu nunca esqueceria, ainda mais de pessoas especiais como você, que fez parte daquela casa, nas dores e nas risadas. Valeu, Jones! Obrigado pela visita, pelo comentário e por ser meu amigo de casa, mesmo fora dela…rs.
      Forte abraço,
      Do seu amigo Jones.

  2. Sabe o que eu gostava mesmo, gostava do cheiro do café….

    Ficava sentado na cozinha, me servindo de mais uma dose, coversando com a matriarca enquanto esperava mais meia hora do João.

    Vida que segue, vida que vai……

  3. Que lindo !!! Quanta emoção !!!
    Minha querida Amiga Eglair, que FAMILIA FANÁSTICA você
    edificou !!! PARABÉNS e NOTA 10, com LOUVOR !!!
    Ao ler as palavras do João, da Débora e da Angélica muito
    me emocionei, pois também faço parte dessa estória, com muitas
    Saudades, pois a nossa é bem mais antiga, né ???
    Com meu carinho, beijossssssss para Todos Vocês !!!

  4. Lindo! Lindo! Lindo! Lindo!!
    Verdadeiro!! Emocionante!!
    o 160 foi importante para todos nós! não sou materialista… mas não podia deixar de escrever, ser sincera por aqui por tudo de bom que passei lá!
    realmente vai dar saudades! ô… se vai!
    também agradeço a minha vida passada lá! eu passei quase 40 anos…
    foram 39 anos e 7 meses!
    tô aqui… chorando…rs… e agradecendo a Deus por ter passado minha vida no 160!
    e agradecendo também pela alma poeta do meu irmão, que em palavras traduziu todo o amor que aconteceu lá naquela casa!
    ‘entre Luzitana e Anchieta’ realmente vai dar saudades…
    hoje, pela janela, pelo meu local de trabalho, vi só o telhado dela, de longe… bem longe… velhinho, tadinho, mas que nos acolheu… e nessa hora… tive vontade de chorar…
    tonta? não! sincera!!
    tchau, 160! fique bem!!

    1. Obrigado, irmãezona…rs. Fico feliz que tenha gostado, muito mesmo. Ela, como disse à Angélica, estará sempre lá, em nossos corações e entre Luzitana e Anchieta. Eunão sabia que só no dia de hoje ia fazer minhas duas irmãs chorarem, juro que não imaginava isso. Aí fui eu mesmo ler e, o próprio autor cmeçou a lacrimejar. E, querendo ou não, quando fiz este poema no papel, chorava em prantos, acredite, sem parar… Coisas de escorpião, né?…rs.
      Obrigado pelas palavras e elogio, Dé.
      Valeu mais uma vez.
      Beijo,
      João

  5. Querido irmão, estou muito emocionada… muito mesmo!! Bela homenagem ao 160! Concordo com vc e assino embaixo! Não páro de chorar…rs… mas, é isso, é a vida… Espero que quem more ou trabalhe, passe ou fique por lá, sejam felizes como fomos lá! E a felicidade, o amor, a união, as risadas e o carinho continuam, tudo continua igual, graças a Deus! Só mudaram de endereço…rs. Que venha mais um 160! rs…
    Amo vc, amo nossa família! Obrigada, Deus! Obrigada.
    Beijos e sucesso, sempre!

    1. Querida irmazinha, fiquei emocionado com seu comentário. Não chorei, mas, bobear…rs. Fico feliz com o que disse e também concordo. É a vida, e agora, vida nova pra todos nós! E ela, a nossa casa, sempre vai existir, vai estar sempre no endereço do nosso coração e, na rua, no saudoso 160. E, claro, entre Luzitana e Anchieta…rs.
      Beijos. Fique com Deus.
      João

  6. Joao, grande Joao.
    Senti uma saudade imensa da MINHA casa e da sua tambem.
    Tao bem descrita em suas palavras.
    Doi. sei que doi.
    Mas como vc mesmo disse as lembrancas ficam. Pra sempre. Em nossa memoria.
    A vida muda. A vida passa e precisamos aprender a desapegar.
    Dificil.
    Vivi isso tambem. Foi bem dificil. A venda demorou o tanto do tamanho do apego. Mas foi.
    Mas as lembrancas estao frescas em minha mente. Cada cantinho dela. Cada fase. Cada acontecimento.
    Pra sempre.

    1. Obrigado pelas palavras, Tati! Com certeza dói, mas com certeza isso passa, mas estou bem, mas foi inevitável passar em branco, meu coração não aguenta… Você também fez parte dela e eu também da sua, né? Lembranças pra cá e pra lá…rs. Mas estou bem e sei que a vida muda e eu gosto de mudanças, mesmo, e são necessárias.
      Obrigado pela visita, Tati. Pareça mais vezes e, como disse para o meu primo, “sinta-se em casa”…rs.
      Grande beijo,
      Primo João

    1. Obrigado pelo elogio, Juliano. Pois é, tinha até esquecido que morávamos perto, e acabei não te conhecendo ainda…rs. Mas não faltarão oportunidades. Seja em Campinas ou em São Paulo, né? Obrigado pela visita, pelo comentário e por vigiar nosso antigo lar…rs.
      Valeu!
      Grande abraço,
      João Aranha

  7. Bravo Basilio! Sentimental de mais pro meu gosto e pouco pragmático, mas é tudo o que uma casa iria querer ouvir, e é tudo o que eu diria para qualquer uma das que tive que merecesse. Grande abraço.

    1. Obrigado, Basílio! Gostei da sua visita por aqui. Claro que você, fora a família, é um dos que mais sabem de tudo o que aconteceu por lá. Obrigado pelas palavras, querido primo, mas não consigo deixar de ser sentimental, ainda mais nesta ocasião…rs, mas gostei das suas palavras e do seu pensamento sobre a casa e sobre as que você diria. Valeu, queridão. Apareça mais vezes por aqui. Sinta-se em casa…
      Forte abraço,
      Basílio.

  8. Ah! eu conheci essa casa…

    que bacana teu poema!
    e as minhas lembranças vieram também…
    o namorado antigo, a bronca na frente dela… as risadas que eu dei na última vez…
    só não esqueça de me contar, onde todos vão morar, tá?
    bjo grande

    1. Obrigado, Cacá! Pois é, entre tantas pessoas você também fez parte dela. E que bom que fez, pois você era uma das pessoas especiais que passaram por lá. A gente muda, mas a saudade fica. Pode deixar que te falo o novo endereço depois.
      Valeu pelo carinho e pelo elogio.
      Um beijo,
      João

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s