CALADA

No calar da noite
Calo pra sonhar
Sonho em não calar
Pra noite despertar
Calo na noite pra não calar
No calar da boca
Pra noite me calar
Noite de frio manso
De boca seca
De sonho quente
De sonho à frente
Me ponho a sonhar
Me ponho a calar
Coração dispara
Voz que não cala
Cala a noite
Calo-me também
Coração que bate
Madrugada calada
Deito e durmo
Sonho e vivo
Calo na calada
Na boca quente
Na alma amarrada.

João Aranha
17/02/2010

Publicado em: Poemas

Tagged as: , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s