VEJO

Ao me ver
Um bocejo
Ao te ver
Um gracejo
No entardecer
Um solfejo
De nos ver
Um molejo
No destino
Realejo
No espelho
Eu me vejo
Tanto branco
Azulejo
Corpo seu
Meu desejo
Sou só eu
Não invejo
Onde vai
O sertanejo
Fria Europa
Além Tejo
Sou das ruas
Vilarejo
Sei de nada
Sei que vejo
Ao meu ver
Nada vejo.

João Aranha

29/01/2007

Publicado em: Poemas

Tagged as:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s