OLHAR

Ela dizia que meus olhos eram lindos, observava-os lentamente, com seus olhos também lindos, lindos e curiosos diante o meu olhar, estes meus olhos, os mesmos que ela dizia serem lindos, instigantes, sensuais, belos na sua composição, no seu contexto estético, no olhar imagético, no provocante desejo que a envolvia, e que este me fazia mergulhar no horizonte da alma minha, na fonte do meu eu, refletindo na janela desta alma, a pureza, e a não inocência deste apaixonar ótico e interno, que talvez revelasse a tal beleza do meu olhar, que ora pairou no ar, que ora entrou em outro olhar, este olhar que olhava meu olhar, que adorava meu olhar, que adorava me olhar, e que eu amava olhar, com este meu, já não sei mais, belo olhar.

João Aranha

07/12/2006

Publicado em: Poemas

Tagged as: ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s