Beleza interna
Que brilha na terra
Suporta a tormenta
Em febre quarenta
O colo acolhe
O fruto, teu chão
Paz que a rodeia
O saber a permeia
Na terra, areia
No vento, a bandeira
Luz te conduz
Luz, sua luz
Faça tua rota
Siga tua nota
Perdida ou devota
Rápida ou lenta
O homem te ostenta
E num passo qualquer
Parou todo o mundo
A alma valente
Ela quer diferente
No sangue bondade
Coração de saudade
Sorrindo ao teu dia
Carinho de tarde
Encanto na noite
Madrugada te parte
O amanhã vem colher
O plantio de saber
No caminho, bruta
Não larga a labuta
Seguindo teu rumo
Pra criança, colher
Abraça e inunda
Gineceu que te funda
Androceu, teu karma
Sua conduta
Sua arma
Não esquece de nada
Pensa em todos
Mesmo em nada
Pare o chão tão profundo
Não é o que quer
Respire fundo
Grite ao mundo
És plena, és feiticeira
Sabe bem o que quer
Pois quem manda no mundo
É você
Mulher.

João Aranha

08/03/2007

Publicado em: Poemas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s